hoje é dia das mães. e eu passo o dia sozinho.

ouvi celebrações na casa da frente, onde mora uma senhora mais velha. chegam carros de casais e crianças. depois do almoço, o movimento some. só sobraram pássaros, principalmente agora que o sol já está indo embora.

eu chamo esse livro para a tarde comigo. são poemas de regina azevedo sobre seu avô, homem que tatuava a cidade na sola dos chinelos, e sua avó, mulher que ensinou regina a ser professora. ela escreve para eles, dedica a eles, pensa neles quase todos os dias.

este é um livro sobre família, amor, lembrança, companhia. sobre se cercar de lembranças para não se sentir só. fico pensando se é isso que significa carcaça, o título.

não chego a nenhuma conclusão.