marana

ㅤ ㅤborges

escritora, nasceu no lado verde de são paulo, e por isso ainda busca árvores na cidade. estudou artes marciais, teatro, astrologia. formou-se em jornalismo (universidade de são paulo) e é mestre em teoria da literatura (universidade de lisboa). atualmente escreve uma tese sobre proust. foi selecionada para o programa de bolsas de criação literária da fundação biblioteca nacional, e seus contos receberam o prêmio humberto de campos.

mobiliário para uma fuga em março (dublinense, 2021), seu romance de estreia, ganhou o prêmio minas gerais de literatura.

grande sertão: veredas
guimarães rosa

nunca me recuperei desta leitura. diadorim é nome de pássaro e não cabe em boca. um livro de homenagem à palavra. romance total: ali há o sol a pino e os abismos.

OLHOS RECÉM-NASCIDOS
DENISE STOKLOS

sentada, quase imóvel, a dramaturga, atriz e diretora stoklos reiventou depois de 25 anos a própria poética do gesto, originalíssima e subversiva, que a tornara conhecida no teatro. nesta peça mostrou porque é uma artista maior: porque libertária: porque infiel às fórmulas.

TRILOGIA DO PÓS-GUERRA
SAMUEL BECKETT

molloy (1947), malone morre (1948) e o inominável (1949): a cada livro, beckett foi mutilando os pés dos personagens – até já não poderem andar. fez o mesmo com a linguagem. ao final, revogou a fantasia de redenção da forma romanesca. herdamos seus destroços.

CANTARES DE PERDA E PREDILEÇÃO
HILDA HILST

amor e cólera em excesso, mas sem um verso a mais. poemas conduzidos a passos lentos, curtos, e que deixam na página o desenho justo: as estrofes formam azulejos. hilda, corajosa, vai buscar em leopardos, gozo, cadelas, o som para sua poesia que é canto e escrita.

as ondas
virginia woolf

extremamente atento à musicalidade. romance-coral. cada um dos seis personagens é um timbre particular. os diálogos são falas ou pensamento? a cada capítulo, me fascinam as mil formas de descrever o nascer do sol e o poente. lirismo.

sonata de inverno
INGMAR BERGMAN

quando uma mãe encontra a filha que sempre evitou. o texto é feito de lascas. um cinema belíssimo, poético e boreal.