ㅤ julia

ㅤ ㅤ ㅤbac

nasceu em São Paulo. É formada em História (PUC/SP, 2004), em Artes Visuais (Centro Universitário Belas Artes/SP, 2009), e mestre em Arte e Patrimônio (Maastricht University, Holanda, 2011). Na área literária, se formou no núcleo de ficção do Curso de Formação de Escritores do Instituto Vera Cruz (SP/2018) e no CLIPE/Poesia da Casa das Rosas (SP/2017).

Publicou o livro duas mortes pela editora 7letras (2021).

 

81RtD2LRSIL

Feliz ano velho
Marcelo Rubens Paiva

Li sobre Feliz Ano Velho no jornal e pedi para a minha mãe ir comigo comprar. Foi o primeiro livro que lembro ter escolhido, que não chegou através da escola ou da família. Acho que foi a primeira autobiografia que li, talvez isso explique a minha adoração pelo gênero.

91ogGDrsR2L

Light Boxes
Shane Jones

Peguei esse livro ingenuamente em uma livraria quando estava fazendo o mestrado e não aguentava mais ler sobre conservação de obras de arte contemporânea. É uma ficção sobre o inverno contada de forma híbrida e que explora as possibilidades do texto graficamente. É lindo!

41yH0mJOq+L

Spring and All
William Carlos Williams

Esse livro não segue a ordem de capítulos, mistura números árabes e romanos, às vezes até aparecendo de ponta cabeça. Traz o instante do momento nele mesmo, como no famoso poema do carrinho de mão, mas esse instante não se separa do contexto da déc. de 20 nos Estados Unidos.

livro-diario-de-luto-colecao-roland-barthes

Diário de luto
Roland Barthes

Barthes escreveu nessas fichas depois da morte da sua mãe e o livro foi organizado postumamente. Encontrei por acaso na biblioteca quando estava escrevendo sobre a morte da minha mãe, me ajudou muito a entender algumas questões que eu estava atravessando.

12661610.066_768x1024

Poems
Sylvia Plath

Um dos meus livros de cabeceira. Acho que ela é muito precisa e consegue construir imagens muito fortes. Li os diários dela junto com os poemas e dá para ver o quanto ela é exigente com a escrita, dá para ver de onde partiram alguns poemas, foi uma experiência muito bonita.

71nl+-OmuqS

A morte do pai
Karl Ove Knausgård

Sem dúvida é o melhor de toda a série Minha Luta. Parece ser uma escrita simples e fácil, mas quando se olha com mais atenção é possível perceber a estrutura complexa que ele criou. Fiquei fascinada pelo autor, li os livros que ele cita e também outros livros dele.