dia
nobre

é escritora e historiadora. nasceu em 1984 no ceará e atualmente mora em pernambuco.

é autora do livro de não-ficção incêndios da alma (prêmio capes 2015) e dos livros de ficção todos os meus humores (2020) e no útero não existe gravidade (2021). participa também da coletânea antes que eu me esqueça – 50 autoras lésbicas e bissexuais hoje (quintal edições, 2021).

a hora da estrela
clarice lispector

último livro escrito por clarice, é uma obra completa. a construção de personagem, tanto do narrador, quanto das personagens que orbitam a protagonista macabea é magistral. a narrativa poética e metalinguística traz uma reflexão sobre o processo de escrita, ao mesmo tempo em que reflete sobre temas duros como a xenofobia contra nordestinos.

ponciá vicêncio,
conceição evaristo

primeiro romance de conceição evaristo, neste livro acompanhamos ponciá da infância à vida adulta. em uma narrativa curta, mas densa, a autora propõe uma discussão sobre identidade, racismo e sexismo, pautas necessárias em uma sociedade marcada pelo racismo estrutural e pelo domínio do patriarcado.
 

POESIA COMPLETA,
ORIDES FONTELA

Orides, além do imenso talento, domina como ninguém a técnica poética. seus poemas trazem o tema da memória e da palavra como mote central. ganhadora do jabuti em 1984, morreu na miséria e pouco conhecida. sua obra tem sido recuperada nos últimos anos e todos os seus livros estão reunidos em uma antologia de poesia completa publicada pela hedra editora.

O CORPO DELA E OUTRAS FARRAS,
carmen MARIA MACHADO

para representar as latinas, indico uma obra que explora os limites da ficção em uma mescla bem sucedida de realismo mágico, suspense, terror e fábula. o tema central do livro é o corpo feminino e as violências sofridas pelas mulheres em diversas situações, das mais sutis às mais explícitas.

FRANKENSTEIN,
MARY SHELLEY

Mary Shelley, a criadora da cultura pop, soube ler bem o zeitgeist e elabora uma crítica fundamental à modernidade e às consequências do mau uso da ciência e da tecnologia. um clássico da literatura de horror, Frankenstein é um livro filosófico e profundo que traz questões importantes para pensarmos, inclusive, o século XXI.

O JOGO DA AMARELINHA,
JÚLIO CORTÁZAR

cortázar é um dos meus autores prediletos e este livro é como o próprio nome diz, um jogo. um texto anfíbio que pode ser lido como romance ou conto é também uma reflexão sobre os desejos juvenis e pela busca do outro. como na brincadeira infantil, te leva ao céu ou te joga no inferno.


leia também

uma conversa de felipe andré silva com antônio xerxenesky