caixa baixa

uma coluna de crônicas — por Tayná Gonçalves

O gato espreita

Para todos os efeitos, eu não enlouqueci. Mas, mesmo quando ele não está ali, sinto que espreita meus ombros, encurrala minha espontaneidade, joga na minha cara os meus defeitos.